• By Sharon Theimer

Alerta dos Especialistas: Conhecer o risco de doença renal crônica é ainda mais necessário devido à pandemia de COVID-19

10 março 2021
anatomia renal. Ilustração 3D

ROCHESTER, Minnesota — Estima-se que uma a cada dez pessoas ao redor do mundo tem doença renal crônica, mas a maioria delas não sabe disso. A falta de conhecimento é particularmente preocupante porque as pessoas com doença renal crônica que se infectarem com COVID-19 têm maior risco de apresentar a forma grave da doença.

É importante que as pessoas entendam seu risco de desenvolver doença renal crônica e tomem medidas para preveni-la, diz o Dr. Andrew Bentall, M.B., Ch.B., nefrologista na Mayo Clinic.

“Gerenciar fatores de risco, como pressão arterial alta, diabetes e obesidade, reduz as chances de desenvolver doença renal”, diz o Dr. Bentall. “Uma vez que o indivíduo tenha doença renal crônica, praticamente não há cura, mas o diagnóstico e o tratamento precoce podem ajudar a prevenir a insuficiência renal e a necessidade de um transplante de rim.”

Quinta-feira, 11 de março, é oDia Mundial do Rim. As pessoas com doença renal crônica grave geralmente precisam ser tratadas com diálise ou ser submetidas a um transplante de rim. O Global Observatory on Donation and Transplantation (Observatório Global de Doação e Transplante) informou que foram realizados 95.479 transplantes de rim no mundo em 2018.

Os rins têm uma função essencial no corpo, filtrando os resíduos e o excesso de fluidos, que são excretados na urina. Doença renal crônica descreve a perda gradual da função renal.

Abaixo estão alguns fatos essenciais que você deve saber sobre a doença renal crônica:

  • Mulheres têm maior propensão a apresentarem insuficiência renal.
    A doença renal crônica é mais comum em mulheres do que em homens, com cerca de 15 por cento das mulheres diagnosticadas contra 12 por cento dos homens, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, por sua sigla em inglês).

  • Diabetes, pressão arterial alta e obesidade são fatores de risco cruciais.
    Pessoas com diabetes e pressão arterial alta, assim como as que são obesas, correm todas maior risco de desenvolver doença renal crônica. Outros fatores de risco incluem tabagismo, doença cardíaca, histórico familiar da doença, idade avançada e estrutura anormal do rim.

  • Podem haver alguns sinais e sintomas nos estágios iniciais da doença renal crônica.
    Os sintomas podem incluir náusea, vômitos, perda de apetite, fadiga, problemas no sono e alterações na produção de urina. Às vezes as pessoas experimentam falta de ar, inchaço nos pés e tornozelos, contrações musculares e câimbras, coceira persistente e dor no peito.

  • Parar de fumar e perder peso podem ajudar a prevenir a doença renal.
    Fumar pode prejudicar os rins e agravar danos renais existentes. Manter um peso saudável também pode ajudar a reduzir o risco de doença renal. É também essencial que as pessoas controlem doenças crônicas, como pressão arterial alta e diabetes.

A Dra. Sandra Herrmann, nefrologista na Mayo Clinic, tem um conselho indispensável para as pessoas com risco alto de apresentarem doença renal crônica.

“Não espere para conversar com seu médico sobre saúde renal”, diz a Dra. Herrmann. “Há exames simples de sangue e de urina que podem detectar a doença renal crônica. Quanto mais cedo a insuficiência renal for diagnosticada, melhores as chances de preveni-la e de reduzir o risco de outras complicações, como ataques cardíacos e derrames.”

###

Sobre a Mayo Clinic
A Mayo Clinic é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a inovação na prática clínica, educação e pesquisa, fornecendo compaixão, conhecimento e respostas para todos que precisam de cura. Visite a Rede de Notícias da Mayo Clinic para obter outras notícias da Mayo Clinic.

Contato de mídia:
Heather Carlson Kehren, Relações Institucionais da Mayo Clinic, 507-284-5005, newsbureau@mayo.edu